Ministro de Trabalho da Argentina também tem problemas com empregados sem carteira assinada

Assim como Cristiane Brasil não pode assumir como ministra de trabalho de Temer por problemas com empregados não registrados, seu par argentino, Jorge Triaca, também está complicado por demitir empregada que mantinha sem carteira assinada.

Jorge Triaca, ministro de trabalho, está de férias não programadas por causa de um escândalo que atinge em cheio o governo de Mauricio Macri após vazar um áudio em que o ministro demite uma empregada pelo Whatsapp com duros xingamentos.
“Sandra, não venha. Não venha porque vou te mandar pra puta que pariu, você é uma imbecil”, diz no áudio que percorre as redes sociais e os programas de televisão. Trata-se de Sandra Heredia que trabalhava para a família Triaca como secretária do lar “faz-de-tudo” desde 2012 e foi demitida duas semanas após ter se atrasado em abrir a porta da residência quando o ministro chegou, fato que originou o áudio.

Não fosse pouco escândalo ter uma empregada sem registrar de 2012 até 2015, 20 dias antes da eleição presidencial, a empregada “ganhou” do ministro, após pedir aumento de salário em abril do ano passado, um emprego no Sindicato de Operários Marítimos Unidos (SOMU) sem ter experiência industrial nem sindical nenhuma. O SOMU tinha sofrido intervenção pelo governo Macri no começo da sua gestão por suposta corrupção.

O momento político não poderia ser pior para o governo: encontra-se em pé de guerra com os sindicatos porque pretende acabar com as negociações coletivas de salários que acontecem normalmente no começo de ano, medida resistida pela CGT (Confederação Geral do Trabalho) principal organização trabalhista. E também impulsiona no Congresso uma lei de reforma das leis do trabalho, sem contar com os votos necessários para sua aprovação, similar a que foi aprovada no Brasil.

O ministro, filho do também ministro de trabalho do ex-presidente Carlos Menem, está
de “férias” para sair dos holofotes enquanto o chefe de Gabinete, Marcos Peña, tenta pôr panos quentes na delicada situação.

Se no Brasil a justiça não deixa tomar posse a Cristiane Brasil, na Argentina os deputados da oposição pediram a interpelação parlamentaria de Jorge Triaca e o juiz federal Canicoba Corral já investiga a questionada “nomeação” da empregada no sindicato SOMU. No Twitter o hastag #ChauTriaca (#TchâuTriaca) foi o mais replicado na Argentina.

Triaca-Cristiane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s