O governo argentino atrasou o aumento da gasolina para depois das eleições primárias

O executivo planejava aplicar em agosto um novo imposto que teria impacto no preço da gasolina. No entanto, através de um decreto, adiou o aumento até setembro, depois das eleições primárias do dia 11.

FONTE: La Letra P

O governo novamente adiou parcialmente o aumento dos combustíveis líquidos (ICL) que, mesmo assim, deverá aumentar 3,1%.

Originalmente foi planejado um aumento de 11,8%, de acordo com as correções tarifárias que ocorrem a cada três meses.

No entanto, em julho, foi realizado um aumento de 3,9% para mitigar o impacto sobre a inflação, portanto, era esperada uma correção de 7,9% para completar o percentual previsto em agosto.

Contudo, o aumento foi reduzido novamente para 3,1%, em um novo desdobramento, que se materializou por meio do decreto 531/2019 para evitar o custo político ante as PASO (Eleições Primárias Simultâneas e Obrigatórias) que acontecerão em 11 de agosto.

De acordo com o decreto, o Governo considerou “conveniente prever uma maior gradualidade” determinando que o aumento total nos valores do imposto originado pela atualização em questão, entre em vigor desde 1º de setembro, 2019.1556621624185

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s