Alberto Fernández revelou o plano de saída com vida de Evo da Bolívia: “Graças a Deus o resgatamos vivo”

O presidente eleito manteve contato com o mexicano López Obrador para organizar a saída da Bolívia do presidente derrocado e de seus funcionários. A inesperada virada do presidente peruano Vizcarra e a “generosidade” do presidente paraguaio Abdo.

FONTE: Ámbito Financiero

“Graças a Deus resgatamos Evo vivo, Linera, seus ministros e uma série de oficiais”, comemorou Alberto Fernández na terça-feira, depois que o avião que transportou o presidente boliviano e seus principais colaboradores decolou da Bolívia para o México.

Alberto Fernández e André Manuel López Obrador.

Em diálogo com a Rádio 10, o presidente eleito explicou como a “ponte aérea” foi orquestrada para transferir Evo Morales, seu vice-presidente Álvaro García Linea e outros altos funcionários destituídos. “Foi muito difícil”, disse Alberto.

Segundo Fernández, o plano de tirar as principais autoridades foi elaborado na segunda-feira contra o relógio e por telefone com o presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador. “Havia muitas idas e voltas. Houve uma primeira tentativa de procurá-lo ao meio-dia e alguém na Bolívia deu ordens para que o avião [da força aérea mexicana] não entrasse e teve que retornar a Lima”, disse Fernandez.

“Depois sim, permitiu-se o ingresso por volta da noite. Eles foram procurá-lo, mas o avião teve que reabastecer, porém Lima pediu que [o avião] não voltasse”, afirmou.

E continuou: “Então tivemos que encontrar outro lugar, e [Mario] Abdo apareceu com sua generosidade, e o Paraguai abriu o espaço aéreo para reabastecer combustível e, em seguida, teve que viajar todo o caminho para o México, pedindo para atravessar os espaços aéreos, e foi possível conseguir. Foi um ótimo trabalho do Ministério das Relações Exteriores do México, e entre nós dois fomos resolvendo os problemas”.

Alberto Fernández disse que desde o golpe de Estado no domingo ele mantém contatos telefônicos com vários líderes da região e do mundo, como o francês Emmanuel Macrón e o espanhol Pedro Sánchez e, é claro, com os líderes bolivianos renunciantes. “Consegui falar com o vice-presidente Linera e um pouco com Evo, ontem à tarde (segunda-feira), enquanto eles ainda estavam na Bolívia”, afirmou. A “ponte aérea” para tirar Morales da Bolívia com vida se dificultou quando o presidente peruano Martín Vizcarra se recusou a receber o avião mexicano quando Morales e seus funcionários já tinham embarcado. “Vizcarra teve muitas pressões e não pôde permitir o acesso ao seu território pela segunda vez”, disse Fernández.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s